sábado, 5 de novembro de 2016

Proteja-se Contra os Mosquitos na Gravidez

Aproveitando a proximidade do verão e o início da época de chuvas, vale lembrar a importância do uso de repelentes em gestantes e crianças:



A primeira providência é acertar na escolha do repelente. Conforme divulgado pelo Ministério da Saúde, as três substâncias capazes de afastar o mosquito Aedes aegypti -- o vetor da doença -- são icaridina, IR3535 (etil butilacetilaminopropionato) e DEET (dietiltoluamida).
Há diversas fórmulas que contêm um desses ingredientes, que  podem ser utilizadas com ressalvas. As grávidas, por exemplo, requerem aval do obstetra e, se optarem pelo DEET, a concentração da substância deve ser de 10% a 50%.
Já se sabe que os mosquitos podem transmitir uma série de doenças, por isso prevenção é a melhor estratégia. É importante, contudo, ter cautela com produtos para combater insetos e ter certeza de que são seguros tanto para a grávida quanto para o bebê.
Segue algumas dicas para se prevenir desses indesejáveis mosquitos:
Elimine a água parada:
Mosquitos se reproduzem em água parada, então troque com frequência a vasilha de água de animais e os potes das plantas, colocando areia nos pratos.
Não deixe acumular água em pneus, canos ou calhas. Água de chuva também precisa ser dispersada, em calhas ou áreas baixas do quintal, porque vira criadouro de mosquitos.
Caso você esteja armazenando água da chuva para reaproveitá-la, mantenha o recipiente sempre bem fechado e não guarde por mais de uma semana.
Se você suspeita de foco de mosquitos que transmitam dengue, zika e chikungunya na sua região, confira contatos úteis para investigação e fumigação de mosquitos.

Use repelente contra insetos:

Os médicos recomendam que grávidas usem repelentes apropriados durante a gestação, já que as possíveis consequências de doenças desenvolvidas a partir de picadas de insetos podem ser sérias.

Em geral, repelentes para crianças e bebês são também seguros para grávidas. É preciso lembrar de reaplicar cremes e sprays a cada 3 horas. Passe o repelente também na roupa que estiver vestindo.

Quanto usar?

Não exagere na frequência de aplicações que, especialmente em grávidas e crianças, não pode ultrapassar três vezes ao dia. Esse, aliás, é outro dilema. Recentemente, um experimento realizado pela Proteste com 10 marcas de repelente revelou que eles não garantem a proteção em horas prometida no rótulo. Por exemplo: o principal produto à base de icaridina, que teve o melhor desempenho em eficácia, protege por quase 3 horas — e não pelas 10 horas descritas. Enquanto os fabricantes não se pronunciam a respeito, porém, os usuários não devem intensificar a frequência de aplicação.

Lembrando que o mosquito tem hábitos diurnos, portanto, os períodos da manhã e da tarde são os que exigem atenção redobrada no uso do repelente. Na hora de dormir, em contrapartida, ele não é indicado. O melhor é lançar mão do aparelho de tomada e das telas.


Cuidados na aplicação: 

Outro detalhe que faz a diferença na proteção é colocar a fórmula em suas mãos e depois espalhá-la, por igual, nas áreas expostas do seu corpo ou do seu filho, salvo nas mãos — a exceção vale principalmente para os bebês, que costumam levá-las à boca. Depois, lave bem as suas.

Evite o contato com olhos, nariz e boca. Atenção: os repelentes não devem ser passados nas áreas cobertas pela roupa, já que isso aumenta o risco de reações. Mas podem ser aplicados por cima, especialmente se você tiver dúvidas se o tecido é capaz de barrar o mosquito.
Vista roupas certas:
Cores escuras tendem a atrair mosquitos. Portanto, prefira roupas claras e que cubram a maior parte do corpo. Outra dica é que as roupas não sejam apertadas, porque, por incrível que pareça, mosquitos às vezes conseguem picar através da roupa. 
No verão, para não passar calor, escolha peças leves e de tecidos naturais, como o algodão. Os especialistas aconselham hoje em dia a borrifar repelente em spray na roupa também, para criar mais uma barreira contra os insetos.

Fuja de perfumes fortes:
Aromas florais ou adocicados de frutas tendem a atrair mosquitos. Então, antes de comprar, abra e cheire bem embalagens de xampus, sabonetes, cremes e outros cosméticos. O melhor é usar produtos sem cheiro.
Se você não abre mão de um aroma, o melhor é procurar algo que afaste mosquitos, como lavanda, citronela, capim-limão ou cravo.

Use também repelentes naturais:
Além dos repelentes comuns, como em creme ou spray, grávidas podem usar também repelentes caseiros, à base de álcool e cravo-da-índia, ou insetidas elétricos.
Uma receita comum é deixar cravos-da-índia mergulhados em álcool por pelo menos quatro dias, e depois misturar o líquido com um óleo suave, como óleo para bebê.
Velas de citronela e óleos essenciais de citronela, eucalipto ou cravo também ajudam a manter os mosquitos longe de casa. Só é preciso muito cuidado com velas acesas em casa. Sempre coloque-as completamente longe do alcance de mãozinhas de crianças ou patas de animais, e nunca deixe uma vela acesa num ambiente sem ninguém.







Nenhum comentário:

Postar um comentário