domingo, 4 de junho de 2017

Maternidade Real - Amamentação



Olá Mamães,

Faz tempo que estou tentando terminar esse post, mas está um pouco difícil. Rsrs...

Maria completou 3 meses semana passada, agora está mais fácil ter um tempinho para outras coisas.




Uma das coisas que gostaria de dividir com vocês são algumas dicas de amamentação.

Antes da Maria nascer li muito sobre o assunto e também conversei com algumas amigas que já eram mães, mas na realidade, a gente só sabe quando passa mesmo! Rsrs...

Meu leite desceu após 48 horas do parto, antes disso temos o chamado colostro, a descida do leite se chama apojadura, só de ouvir esse nome me arrepiam os cabelos! Rsrs...

Não vou mentir, amamentar dói bastante no início, é preciso muito amor, paciência e dedicação para não desistir. Amamentar é realmente um ato de amor.

Na minha apojadura, tive o "empedramento" do leite, o que deixa as mamas ingurgitadas, com isso o bebê não consegue mamar e se ele não mama o seio não melhora, é um "círculo vicioso".




Maria nasceu em uma segunda-feira, tive alta na quarta-feira, na madrugada de quarta para quinta-feira, tive minha apojadura e o ingurgitamento das mamas, Maria chorava de um lado e eu de outro. As 5h da manhã fui para o hospital e tive que ordenhar manualmente para "desempedrar" as mamas e o leite descer. Pensa numa dor!! Nossa!!

Bom, depois de 4 horas no hospital voltei para casa para amamentar e deu tudo certo, mas ainda sentia dores.

O que me salvou?




Pomada de lanolina Lansinoh: é cara mas vale cada centavo! Passava após cada mamada e não é necessário retirar para o bebê mamar.




Concha de amamentação: é ótima para formar um bico para o bebê mamar, não pode dormir com ela e nem usar por mais de três horas por dia. Alguns médicos não gostam, porém, tanto minha obstetra, quanto a pediatra da Maria indicaram.




Bomba elétrica Dican: quando o peito está muito cheio e pode começar a ingurgitar é ótima para tirar o excesso antes do bebê mamar.




Mamare: não achei que deu muita diferença da pomada Lansinoh, é bem caro e dura apenas alguns dias. Mas alivia bem nos primeiros dias porque é geladinho.

Uma coisa que me ajudou também foi mudar a posição a cada mamada, assim vai machucando em lugares diferentes enquanto o outro lugar alivia um pouco. A posição que mais gostava no começo era a invertida (imagem 2 na figura abaixo), agora só utilizo a convencional mesmo (imagem 1 na figura abaixo).




Minhas considerações finais: amamentar não é um bicho de sete cabeças, dói mas passa e passa rápido. Os primeiros dez a quinze dias são os mais complicados, mas depois disso é comercial de TV. Rsrs...

Amo amamentar minha filha! É um momento único! Só nosso!

Maria mama exclusivamente no peito a cada 2h/2:30.

Vale a pena se sacrificar um pouco no começo!

É claro que cada pessoa é diferente da outra e algumas não conseguem amamentar por questões fisiológicas, mas para quem tem leite, vale se sacrificar um pouquinho no começo.

Espero que tenha ajudado!




Logo logo eu volto com mais um pouco da maternidade real, se a Maria me permitir! Rsrs...

Beijos e até a próxima!